Posts da categoria 'Na Água…Emoção'

Sonhar é viver!



Sonhar é viver! Amei este link, tem a minha cara, a cara do que acredito, a cara de que a vida é feita de presentes e cada dia É um presente. Não sei quanto tempo fico neste plano, mas cada dia que aqui estiver quero que seja um presente: feliz, generoso, pacífico, amoroso, dedicado, solidário, humilde, magnânimo, corajoso. Estar viva é lindo demais e temos de ser gratos.

A chuva…

.

A chuva

.

O som da chuva…

Belíssimo belíssimo… só falta o cheirinho da terra molhada…

.

- – - > SOM DA CHUVA…

.


O exercício anual da observação

BBB9 o jogo anual – Tenho lido de tudo por aqui… por ali… É um exercício anual de observação. Interessante é perceber que pessoas que criticam os(as) alimentadores dos blogs relacionados ao programa não tem o que fazer, está sempre por lá, lendo, comentando, “perdendo” seu tempo… Interessante também perceber que esta observação Voyeurista do ser humano confinado, dá a sensação de que podemos, em algum momento, ser julgadores, tsk tsk tsk… Somos observadores, às vezes justiceiros intencionais, as vezes carrascos, como se pudéssemos..

Somos um kit completo quando saímos de fábrica, um lado bom, um lado ruim, todos temos, não somos um ou outro, somos ambos.  O que nos difere uns dos outros no desenvolver de nossa vida ou nos reforça um ou outro dos lados (o bom e o mau), é nossa formação, nosso convívio de infância, nosso entorno, nossa saúde mental na vida adulta, nossa cultura, nossa inteligência, nossas oportunidades.

Sou uma encantada observadora do ser humano desde sempre. Acho esta matéria prima riquíssima para se analisar, mesmo sem a formação profissional para isso. Como arquiteta, preciso ler nas entrelinhas dos clientes para saber o que desejam em seus projetos, mesmo quando esquecem de dizer detalhadamente por acharem que não é importante, isso não me torna uma ótima julgadora mas dá a estrada para me considerar, aos 53 anos de hoje uma boa observadora e, se optei e vou seguir até o fim defendendo a vitória de Francine, não é por ela ser gaúcha como eu nem por preencher espaços vazios em meu tempo ou por ser ex-Miss ou outro lálálá.

Torço sim pela menina-mulher, pelo ser humano lindo que “leio” naquele contexto-pessoa que me agrada, torço pela canceriana que me comove, me diverte, me emociona. Pode não ser a unanimidade dos sentires, mas é o que eu acho e apenas isso pra mim, é motivo bastante pra seguir pensando assim por respeito ao meu sensorial.

À Francine gauchinha minhas boas energias e ao Max, minha torcida para que ele seja 1/10 do que nossa visão romântica fez dele ao longo desta trajetória. A ambos o agradecimento por nos brindar com um encanto de relacionamento, onde nosso imaginário desenhou… soletrou… musicou… perfumou…

Sigo na mesma posição em que estava na 1º semana do jogo, Francine campeã, a verdadeira protagonista desta edição, já que todo o resto, apenas gravitou ao seu redor.

===>A protagonista, a benhê!

07/08/2008

Júlia, era um sonho que meu amado neto Bernardo, esperava acontecer:

antes.jpg

Hoje, Júlia é uma realidade nossa:

depois.jpg

Minha 4º neta querida, seja muito bem vinda ao nosso amor.

Vovó Jane/RS te recebe no coração.

26/06/2008

Um mimo recebido de Verinha/SP

 Meu mimo

26/06/2008

Na lista ICQ-Amigos há muitos anos, o chamo de “Seu das Selvas” já que ele vive por lá, rodeado de Amazônia por todos os lados, longe de sua Bahia. Num dia qualquer de um aniversário qualquer (dele), fiz um contato por tambores e ele atendeu do outro lado. Homem cru, conceitos rígidos, pai severo, marido conservador, assim o percebia por anos. Conversamos e tive a voz do grande amigo, mas era surpreendentemente mansa, compassada, serena e emocionada com meu contato de tão longe (RS). Um homem que com vasta cultura e uma delicadeza incomum, alimentava comigo (na lista) , debates consistentes, conversas cheias de sensatez e sabedoria. O “Seu das Selvas” grande pai, marido da 1ºdama (como a chamo) e especial amigo, vem aqui no blog pra ficar. Ad Eternum. Bem vindo, selvagem!
-Obrigada pela linda mensagem, Seu das Selvas. Feliz me sinto por ter pessoas de sua envergadura me querendo bem, meu amigo. (Sinhá Jane/RS)

“Sinhá Jane, eis que, um mudinho se faz ouvir;
A voz da selva, tem que se manifestar.
Carregada de emoção, afinal são anos de reverências, silenciosas, à uma personalidade forte, humana e sensível.
Um telefonema, aquela voz, amiga, carinhosa tocou a alma do amazônida, as emoções vivenciadas momentâneamente, congelaram, era preciso perpetuá-las, era necessário aguardar um momento, um instante de igual valor sentimental para que o mutismo desaparecesse. Ele chegou, tocado pelas mesmas energias vibratórias, aqui estou.
Parabéns sinhá Jane, muito obrigado por existir,
Feliz aniversário, feliz existência,
Mil beijos!!!!

Paz Profunda, são os votos sinceros de J. Carlos e Família.”

26/06/2008

Recebi de um amigo querido, carioca da gema, surfista malandro, um grande pai e marido, um grande homem.

-Marco, obrigada por este carinho de tantos anos. Você me chama de Arqueira Arteira e pra mim, você é um marujo pra lá de especial, amigo. (Arqueira Arteira Jane/RS)

“Coyote (Blog do Pier): Deixo meu presente em forma de depoimento para que você publique e nunca se esqueça. É um dos trechos mais bonitos que já li de meu amigo Saint-Exupéry, um apaixonado apaixonante:

“Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso.”

(Antoine de Saint-Exupéry)

Que mais posso dizer ? Que seja feliz, o resto é conseqüência. ;)
FELIZ ANIVERSÁRIO – 26/06/2008″

3.gif

Parábola do cocho…

Parábola do cocho…

Era uma vez um velho muito velho, quase cego e surdo, com os joelhos tremendo.
Quando se sentava à mesa para comer, mal conseguia segurar a colher.
Derramava a sopa na toalha e quando afinal, acertava a boca, deixava sempre cair um bocado pelos cantos.

O filho e a nora dele achavam que era uma porcaria e ficavam com nojo.

Finalmente, acabaram fazendo o velho se sentar numa mesinha no canto atrás do fogão, solitário.
Levavam comida para ele numa tigela de barro e o que era pior nem lhe davam o bastante para não transbordar e fazer sujeira.

O velho olhava para a mesa com os olhos compridos, muitas vezes cheios de lágrimas, mas nada dizia…

Um dia suas mãos tremeram tanto que ele deixou a tigela cair no chão e ela se quebrou.
A mulher ralhou com ele, que não disse nada e só suspirou.
Depois ela comprou uma gamela de madeira bem baratinha e era ali que ele tinha de comer.

Um dia, quando estavam todos sentados na cozinha, o neto do velho, que era um menino de quatro anos e coração puro como são as crianças, estava brincando com uns pedaços de pau.

O que é que você está fazendo? – perguntou o pai.

Estou fazendo um cocho, para papai e mamãe poderem comer quando eu crescer, o menino respondeu…
O marido e a mulher se olharam durante algum tempo e caíram no choro.

Depois disso, trouxeram o avô de volta para a mesa e desde então passaram a comer todos juntos e, mesmo quando o velho derramava alguma coisa, ninguém dizia nada.

Você vai envelhecer, pense nisso… Nota: Jane/RS

Próxima Página »

Clicky Web Analytics